Estudo diz que suco de laranja tem 10 vezes mais antioxidantes do que se pensava

A atividade antioxidante dos sucos cítricos é 10 vezes maior do que se pensava, de acordo com uma nova análise realizada por pesquisadores da Universidade de Granada, Espanha e publicado na revista Food Chemistry.

Somente para recordar, os antioxidantes combatem os radicais que provocam danos celulares e têm sido associados a várias doenças crônicas e muitos dos sintomas do envelhecimento.

Até à data, os investigadores estimaram o potencial antioxidante dos alimentos através da simulação da digestão dos alimentos no intestino delgado, de modo a medir apenas os antioxidantes que podem ser efetivamente utilizados pelo corpo. No entanto, este método apenas permite a medição de antioxidantes em forma líquida.

“O problema é que a atividade antioxidante da fração sólida (a fibra) não é medida”, informa o pesquisador Jose Angel Rufian Henares. “No entanto, esta fração insolúvel chega ao intestino grosso e a microbiota intestinal também pode fermentá-la e extrair substâncias ainda mais antioxidantes.”, completa Henares.

A fim de corrigir a sua limitação, os pesquisadores desenvolveram um novo método de laboratório, chamado de “resposta antioxidante global”, para simular a digestão dos alimentos não apenas no intestino delgado, mas em todo o intestino. Isto permite uma melhor estimativa da atividade antioxidante dos alimentos sólidos.

De acordo com o método GAR de análise, o conteúdo antioxidante de muitos alimentos foram drasticamente subestimado e terão de ser revistos. Por exemplo, os testes tradicionais de atividade antioxidante fornecem um valor de aproximadamente 2,3 mmol Trolox / L para o sumo de laranja. O método de GAR, em contraste, apresenta um valor de 23 mmol de Trolox / L.

Os investigadores descobriram que 70% da capacidade antioxidante de sumo de laranja veio de fibra solúvel, em vez de líquidos.

“A atividade antioxidante é, em média, dez vezes maior do que a gente pensava até agora, e não apenas em sucos, mas também em qualquer outro tipo de alimento analisada com esta metodologia”, disse o pesquisador Rufian Henares em um comunicado para a imprensa.