Cientistas usam casca de laranja para despoluir os mares

O oceano é, infelizmente, o lixão do mundo. Para ter ideia, estima-se que até 2050 haverá mais plástico do que peixe nas águas.

Com a falta de espaço para dar destino ao resíduos que produzimos e a falta de consciência das pessoas, os mares têm “pagado o pato”. E isso acaba refletindo também em nossa mesa: calcula-se que a quantidade de mercúrio nos atuns de Yellowfin aumentam 3,8% todos os anos — muito mais do que permitido para a vida aquática. Os principais responsáveis por essa poluição marítima são as indústrias de petróleo e minérios.

Com o objetivo de descontaminar a água, a Universidade de Flinders, na Austrália, realizou uma série de pesquisas que permitem fazer isso em larga escala, a nível global. Eles encontraram a solução na casca da laranja (que muitas vezes acaba no lixo, desperdiçada). Segundo eles, o material consegue tirar o mercúrio do solo e da água.

Além de absorver o mercúrio, o resíduo pode ser usado para identificar a poluição na água, uma vez que sua coloração muda para amarelo quando entra em contato com a substância. Por ser tão barata, os pesquisadores acreditam ter encontrado a solução perfeita para limpar pequenas reservas de água para uso doméstico, bem como usar em uma ação em massa, no mundo inteiro.

Segundo a publicação no Angewandte Chemie International Edition, o trabalho agora é fazer uma versão comercial do material. Resta apenas saber o que será feito com todo o mercúrio captado pelas cascas de laranja!

Fonte: The Greenest Post